Busca por Ônibus em Florianópolis



 Buscar  
 Buscar

Parceiros:


  
PLAMUS

MIX Rocha

FITZZ | e-bikes

MObfloripa | Guia

Everbike


Após campanha, morte de pedestre cai 37% em São Paulo



Campanha da Prefeitura de São Paulo deve ganhar novo fôlego nos próximos meses.




Data:

03/04/2012

Fonte:

Folha Online.

Fonte da imagem:

Divulgação

TAGs:

pedestre, são paulo, campanha, apropelamento

Editoria:

Pedestres


Atualização: 03/04/2012



 

imprimir artigo



 

enviar por e-mail



Share/Bookmark

Leia também...

* Inscrições abertas para a Maratona de Santa Catarina



* Falta de passarela na SC-401, em Florianópolis, é pesadelo para moradores da região



* RS: Motorista repete estupidez do atropelador de ciclistas em Porto Alegre



* Após campanha, morte de pedestre cai 37% em São Paulo



* Modelo de faixa de pedestre inspirado nas de Londres está em fase de teste





Novo balanço sobre atropelamentos no centro paulistano mostra que a campanha lançada pela prefeitura no ano passado continua reduzindo o número de vítimas. O ritmo da queda, porém, caiu.

Do lançamento da campanha do pedestre, em maio de 2011, até janeiro deste ano, as mortes tiveram queda de 37% na comparação com o mesmo período anterior.

Os primeiros balanços divulgados apontaram queda de 71% (até junho), 67% (até julho) e 42% (até outubro). A meta é reduzir as mortes em 50% até o fim deste ano.

A intensidade das multas dos marronzinhos também está menor. Em fevereiro e março, foram aplicadas em média cerca de 1.040 multas por dia útil, contra 1.435 logo após a campanha ser expandida, em setembro.

Para dar novo fôlego à campanha, começa amanhã uma terceira etapa, com prioridade às 14 vias mais perigosas, conforme a Folha antecipou no mês passado.

Marronzinhos serão deslocados para as vias, a maior parte na periferia. Parte dos orientadores - agentes de uniforme amarelo que usam bandeiras para conter motoristas e pedestres - que atuavam sobretudo no centro também será deslocada.

O plano inclui ainda uma reforma na sinalização e nos semáforos. "O objetivo é levar os índices do centro para esses corredores mais perigosos", diz Irieu Gnecco, diretor de planejamento da CET.

Para o professor da FEI (Fundação Educacional Inaciana) Creso Peixoto, a prefeitura deveria investir mais nas faixas. "Pintura mais forte, iluminação melhor, como em Brasília, onde o pedestre é mesmo respeitado". A CET diz ter pintado 16 mil faixas.

Para Creso, a campanha também deve focar mais os pedestres, não só motoristas.

A CET reconhece que os pedestres têm sido relutantes. O gesto do pedestre, sinal com as mãos feito para pedir passagem, é uma das iniciativas que "não pegou".

A companhia diz que a nova fase da campanha vai continuar focando os pedestres, inclusive com novas peças publicitárias na TV a serem veiculadas ainda este mês.



Acesse essa notícia direto da fonte.