Busca por Ônibus em Florianópolis



 Buscar  
 Buscar

Parceiros:


  
MIX Rocha

Everbike

PLAMUS

FITZZ | e-bikes

MObfloripa | Guia


Brasil terá ônibus elétricos com 'DNA' chinês



Ônibus elétrico da BYD em Los Angeles, EUA




Data:

15/04/2015

Fonte:

Mobilize Brasil

Fonte da imagem:

Mobilize Brasil | Los Angeles Times

TAGs:

China, ônibus elétrico, sustentabilidade, transportes

Editoria:

Transporte público


Atualização: 15/04/2015



 

imprimir artigo



 

enviar por e-mail



Share/Bookmark

Leia também...

* Transporte público urbano como direito social: Veja o artigo da Dep. Erundina



* Opinião: Ticen ou Terminal Cidade de Florianópolis



* Especialista defende subsídios para melhorar serviço de transporte público



* Move oferece conforto e rapidez, mas ainda há filas, superlotação e baldeação



* Brasil terá ônibus elétricos com 'DNA' chinês





Empresa chinesa BYD vai montar ônibus elétricos a bateria em Campinas (SP). Diferenciais: durabilidade, capacidade da bateria e performance dos motores no meio urbano



Gigante do setor de baterias elétricas, celulares e veículos elétricos, a empresa chinesa BYD ensaia seus primeiros passos aqui na América Latina. No segundo semestre, a empresa passará a montar ônibus com tração elétrica em Campinas (SP).



Segundo Adalberto Maluf, Diretor de Relações Governamentais da empresa, serão veículos com chassis e demais componentes inicialmente importados da China, com o objetivo de uma gradativa nacionalização. 



Na semana passada, uma equipe da BYD esteve em Bogotá e Medellín, na Colômbia, para apresentar seus veículos (e planos) às autoridades locais. A meta é a substituição dos ônibus diesel em uso nas duas cidades por veículos elétricos, sem emissão de poluentes e com baixa emissão de ruído. 



Outros diferenciais dos ônibus são a alta capacidade dos motores, "capazes de vencer extensas ladeiras", e a durabilidade das cargas das baterias. Maluf afirma que os ônibus podem percorrer até 300 km sem a necessidade de recarga.



Adalberto Maluf conta que em Medellín, os testes incluíram uma longa via em subida, com cerca de 60 km de extensão. No retorno, em descida, o sistema funciona como um gerador, que realimenta a bateria. "Assim, ao voltar ao centro de Medellín, a bateria estava com 100% da carga", conta Maluf.



A BYD espera investir US$ 400 milhões até 2017 em três unidades fabris, a primeira delas em Campinas. O objetivo é produzir baterias, placas fotovoltáicas e os ônibus elétricos, já presentes em 110 cidades de 35 países, segundo dados da empresa.



Acesse essa notícia direto da fonte