Busca por Ônibus em Florianópolis



 Buscar  
 Buscar

Parceiros:


  
Everbike

MIX Rocha

PLAMUS

FITZZ | e-bikes

MObfloripa | Guia


Carta Capital: Para desafogar o trânsito, Brasil deve investir 235 bilhões de reais







Data:

17/02/2016

Fonte:

Carta Capital

Fonte da imagem:

Recorte digital de cartacapital.com.br

TAGs:

congestionamentos, ônibus, VLT, economia, metrô, infraestrutura

Editoria:

Trânsito


Atualização: 18/02/2016



 

imprimir artigo



 

enviar por e-mail



Share/Bookmark

Leia também...

* Trânsito do Centro da Capital sofre alterações nesta segunda quinzena de outubro.



* Código de trânsito pode ficar mais severo



* Experimente fazer o teste de mitos do trânsito proposto pelo G1



* TRÂNSITO: Novembro tem curso do DENATRAN em São José



* TRÂNSITO: Prefeitura discute com entidades a revitalização da Edu Vieira





Segundo estudo da Firjan, tempo perdido pelos trabalhadores em congestionamentos gera prejuízo de 111 bilhões de reais à economia



Não se trata apenas de um transtorno no dia a dia de quem precisa circular pelas grandes e médias cidades brasileiras. Os congestionamentos frequentes e crescentes reduzem a competividade do País. O tempo perdido pelos trabalhadores no trânsito, aponta um estudo da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro, gera um prejuízo de 111 bilhões de reais à economia.



E a tendência é de piora, dada a redução nos investimentos previstos do governo federal, estados e municípios. Falta dinheiro e sobra demanda. Segundo um levantamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, são necessários 235 bilhões de reais em linhas de metrô, corredores expressos de ônibus e Veículos Leves sobre Trilhos (VLT), entre outros, para minimizar a paralisia nas principais regiões metropolitanas. 



Equacionar esse problema não será fácil, diz Paulo Resende, coordenador do núcleo de logística da Fundação Dom Cabral. Enquanto os custos sobem, a capacidade de financiamento dos projetos torna-se mais difícil, por conta da escassez de recursos. Segundo Resende, 40% do custo logístico está atrelado ao transporte de longa distância, primordialmente realizado por meio de rodovias, por onde circulam cerca de 60% das mercadorias produzidas.



Continue lendo esta notícia direto da fonte...