Busca por Ônibus em Florianópolis



 Buscar  
 Buscar

Parceiros:


  
MObfloripa | Guia

PLAMUS

MIX Rocha

Everbike

FITZZ | e-bikes


ACIC Chapecó: Empresas, Bicicletas e Empregados | Dúvidas mais frequentes







Data:

22/02/2016

Fonte:

ACIC Chapecó

Fonte da imagem:

Recorte digital de Manual Empresas, Bicicletas e Empregados

TAGs:

legislação, bike, ciclista, infraestrutura, empregador, Santa Catarina

Editoria:

Bicicletas


Atualização: 22/02/2016



 

imprimir artigo



 

enviar por e-mail



Share/Bookmark

Leia também...

* Magrelas, gratuitas e eficientes em Brasília



* Bicicletas podem garantir mais segurança no trânsito em Florianópolis



* O futuro do transporte está nas bicicletas?



* Novas "highways" para bicicletas fazem sucesso em Londres



* Bicicleta: o meio de transporte do futuro





O uso de bicicletas tem ganhado cada vez mais adeptos seja para competições, lazer ou deslocamento para o trabalho. Estudos apontam que utilizar a bike pode trazer benefícios como economia de tempo e dinheiro, redução de stress no trajeto, melhora no humor, maior produtividade no trabalho, menos poluição, melhora o condicionamento físico, entre outros. 



Em Chapecó, encontramos um exemplo de iniciativa que merece ser compartilhada e pode servir de inspiração para outras empresas. Há três meses, a Fluxo Eletrônica Industrial iniciou um projeto de estímulo ao uso de bicicletas para deslocamento dos colaboradores. Ciclista há anos, o empresário Lenoir Carminatti utiliza a bicicleta para ir ao trabalho e motiva os colaboradores a fazer o mesmo.



Entre as ações desenvolvidas pela empresa estão palestras sobre os benefícios de usar a bicicleta, brindes na festa de fim de ano para aqueles que aderiram ao projeto, auxilio financeiro e orientação técnica para aquisição da bicicleta, entre outras ações. “Temos 35 colaboradores e cerca de 20% já está usando, por opção, a bike para deslocamento ao trabalho. Entendemos que deve haver uma mudança de cultura e aqui na empresa estamos engajados para isso”, comenta. Atualmente, a empresa está em fase de implantação de um bicicletário adequado. 



Carminatti conta que a Fluxo desenvolve outras ações com foco na qualidade de vida dos colaboradores. “Temos uma academia montada dentro da empresa, com estrutura de vestiário e chuveiro, e contratamos uma professora de educação física que vem depois do expediente e orienta a atividade para aqueles que querem e podem ficar”, conta. 



Estrutura e legislação

Carminatti lamenta o fato de Chapecó ainda não contar com uma estrutura adequada de ciclovias ou ciclofaixas, o que gera insegurança. Ele acredita que um passo importante foi dado com a aprovação do Projeto de Lei 138/2015, no dia 25 de novembro, que dispõe sobre o sistema cicloviário do Município de Chapecó. O conteúdo da lei propõe, entre outros pontos, a criação de ciclofaixas, ciclovias e faixas compartilhadas, bicicletários e paraciclos; articulação de rotas estratégicas para o ciclista; instalação de placas de sinalização com orientações relativas aos cuidados e o respeito para com o trânsito de ciclistas na via pública; implementação de infraestrutura para o trânsito de bicicleta; promoção de atividades educativas; etc.



Para o presidente da ACIC Gestão 2014/2015, Bento Zanoni, tanto as empresas quanto o poder público devem ter o compromisso de repensar suas ações em relação à mobilidade urbana e à sustentabilidade. “Se de um lado, as empresas devem estimular seus funcionários a utilizar meios alternativos de transporte, por outro, os governos devem investir em infraestrutura de ciclovias, e melhorar as condições de transporte público para diminuir o número de veículos automotores poluindo e prejudicando a mobilidade urbana”, comentou.



Implantação do projeto

Normalmente, antes de iniciar com um projeto dessa natureza, os empresários se deparam com algumas dúvidas em relação à Lei Trabalhista. Não foi diferente na Fluxo. Uma alternativa encontrada por Caminatti foi consultar o promotor de justiça Eduardo Sens dos Santos que, com auxílio do procurador do Ministério Público do Trabalho Fabiano Holz Beserra e do auditor fiscal da Receita Estadual de Santa Catarina Vicente Vitelmo Freitas, esclareceu alguns pontos. 



Confira: Manual “Empresas, Bicicletas e Empregados – Dúvidas mais frequentes”



Acesse essa notícia direto da fonte