Busca por Ônibus em Florianópolis



 Buscar  
 Buscar

Parceiros:


  
MObfloripa | Guia

Everbike

PLAMUS

FITZZ | e-bikes

MIX Rocha


WRI Brasil: Workshop avalia acessibilidade no sistema BRT de Belo Horizonte







Data:

14/03/2016

Fonte:

WRI Brasil

Fonte da imagem:

Recorte digital de wricidades.org

TAGs:

BRT, transporte público, Ônibus

Editoria:

Transporte Coletivo


Atualização: 15/03/2016



 

imprimir artigo



 

enviar por e-mail



Share/Bookmark

Leia também...

* Linhas de Canasvieiras recebem alterações em outubro



* Circulação de ônibus deve operar com frota mínima em caso de greve



* Paralisação no transporte coletivo de Florianópolis deve ser comunicada pelo menos 72 horas antes



* Nova linha executiva para o Campeche



* Projeto de Lei cria o vale-transporte social





Evento teve palestras e saídas a campo.



Belo Horizonte recebeu o Workshop Acessibilidade para Todos, realizado pelo WRI Brasil Cidades Sustentáveis em parceria com a BHTrans (Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte). O evento foi organizado com o apoio da Embaixada Britânica e permitiu ampliar a discussão sobre o acesso ao sistema de BRT da cidade, o MOVE, com palestras de especialistas e atividades em campo. Cerca de 90 pessoas participaram do workshop, que foi desenvolvido com o objetivo de levar aos técnicos da prefeitura da capital mineira, bem como aos demais envolvidos na concepção de projetos urbanos, informações sobre a importância da acessibilidade nos ambientes das cidades.



A programação do encontro foi aberta pela professora do Núcleo Pró-acesso da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Regina Cohen, que apresentou o conceito do desenho universal e o papel das normas técnicas na elaboração e execução de projetos urbanos. A acessibilidade de pessoas que utilizam cadeira de rodas foi um dos principais temas abordados por Regina. Segundo ela, 23,9% dos brasileiros apresentam algum tipo de incapacidade ou deficiência. “Se contarmos também os familiares e amigos dessas pessoas, que os acompanham nas atividades diárias, vemos que mais de 40% da população brasileira é diretamente impactada pela falta de acessibilidade do ambiente urbano. Isso quer dizer que acessibilidade não é apenas para as pessoas com mobilidade reduzida, mas proporciona melhor qualidade de vida para todas as pessoas”, comentou. Regina expôs exemplos registrados em vias urbanas com pontos críticos da execução dos projetos como, por exemplo, postes e outros mobiliários urbanos que dificultam a passagem de pessoas em cadeira de rodas pelas rampas nas calçadas.



A acessibilidade é o que garante que todos, independentemente de suas condições físicas, possam se locomover com conforto e segurança pela cidade. Garantir que os projetos urbanos sejam desenvolvidos considerando essas condições é fundamental, mas requer trabalho e cuidado, como explicou Paula Santos Rocha, Coordenadora de Mobilidade Urbana e Acessibilidade do WRI Brasil Cidades Sustentáveis, responsável pela coordenação do evento: “Durante as etapas do projeto, muitos elementos são alterados e reformados por diversos motivos, o trabalho passa por muitas mãos e o resultado final acaba muito diferente da primeira ideia”.



Continue lendo esta notícia direto da fonte...