Busca por Ônibus em Florianópolis



 Buscar  
 Buscar

Parceiros:


  
MIX Rocha

Everbike

PLAMUS

MObfloripa | Guia

FITZZ | e-bikes


DC | Pedalada pela inclusão







Data:

06/05/2016

Fonte:

Diário Catarinense

Fonte da imagem:

Recorte digital de dc.clicrbs.com.br

TAGs:

inclusão, deficiência visual, cegos, Criciúma

Editoria:

Bicicleta


Atualização: 06/05/2016



 

imprimir artigo



 

enviar por e-mail



Share/Bookmark

Leia também...

* Magrelas, gratuitas e eficientes em Brasília



* Bicicletas podem garantir mais segurança no trânsito em Florianópolis



* O papel da bicicleta na mobilidade urbana de Portugal



* Deputados de SC aprovam Lei para mobilidade não-motorizada.



* Conheça o Blog MOVIMENTO CICLOVIA DA LAGOA JÁ





Logo nas primeiras pedaladas, a insegurança e o medo do desconhecido dão lugar ao sentimento de liberdade. Andar de bicicleta, depois de anos, é como pedalar pela primeira vez e exige confiança no condutor. Neste domingo, um grupo de 15 pessoas com deficiência visual participa do lançamento do projeto Pedaladas para Cegos, em Criciúma. Com duas bicicletas adaptadas, eles irão resgatar a sensação do vento tocando no rosto.



Resultado do trabalho da Associação Sul-Catarinense de Cegos (ASCC), o projeto quer dar oportunidade para que pessoas com deficiência visual possam andar de bicicleta com segurança. As bikes foram customizadas pelo aposentado David Marcelo, que, além da mão da obra, doou algumas peças e horas de dedicação ao serviço. Orgulhoso, ele admira a alegria dos usuários do projeto, enquanto acerta alguns ajustes na correia e na altura do banco.



— De uns 12 anos pra cá comecei a mexer em bicicletas, mas não é uma profissão. Quando me falaram do projeto, aceitei na hora fazer as bicicletas, e se surgir novas oportunidades vou continuar fazendo — completa.



Enquanto as pessoas que não enxergam aproveitam o passeio na parte de trás da bicicleta, quem está no comando precisa de muita atenção e força para guiar. Os olhos de quem conduz são os olhos do caroneiro, que vai ouvindo os detalhes do percurso, acompanhando a descrição da paisagem e recebendo orientações sobre a hora de parar e descer da bike.



— A primeira vez eu estava realmente nervoso, mas foi tranquilo. Queremos convocar outras pessoas para participar do projeto como voluntários e ter essa sensação maravilhosa de conduzir alguém, de conversar com ele, traduzindo as suas sensações, é um privilégio — diz o voluntário André Roldão.



O projeto será lançado oficialmente neste domingo, às 15h30min, no Parque das Nações. Quinze cegos e cinco voluntários farão os passeios durante a tarde. As duas bicicletas adaptadas ficarão disponíveis para o uso de pessoas com deficiência visual, com o auxílio de condutores, durante todos os dias da semana.



Continue lendo esta notícia direto da fonte...