Busca por Ônibus em Florianópolis



 Buscar  
 Buscar

Parceiros:


  
MObfloripa | Guia

Everbike

PLAMUS

MIX Rocha

FITZZ | e-bikes


Gazeta do Povo | Carro deixa de ser prioridade para jovens no Brasil







Data:

17/05/2016

Fonte:

Gazeta do Povo

Fonte da imagem:

Recorte digital de gazetadopovo.com.br

TAGs:

carros, motoristas, CNH, ônibus, Brasil

Editoria:

Transportes


Atualização: 17/05/2016



 

imprimir artigo



 

enviar por e-mail



Share/Bookmark

Leia também...

* Maciço do Morro da Cruz poderá receber Transporte Funicular



* Estudante da UFRGS cria site com rotas de ônibus de Porto Alegre



* Ministério dos Transportes e DNIT preparados para emergências no período das chuvas



* Florianópolis deve facilitar o acesso às informações sobre o transporte público



* Futuro da mobilidade paulista passa por trilhos





Número de novos motoristas no Brasil caiu 53% nos últimos dois anos. Mudança de comportamento e recessão estão por trás de queda na emissão de habilitações



A crise econômica aliada a novos hábitos de vida e consumo tem provocado uma queda significativa no volume de carteiras de habilitação emitidas no Brasil. Entre 2013 e 2015, a quantidade de novos habilitados no país caiu pela metade (53%). Houve redução em todas as faixas etárias, especialmente na de 22 a 30 anos, que chegou a 62%, e na de 31 a 40 anos, também na casa dos 60%. O setor de autoescolas culpa a recessão econômica, mas os números também revelam que o carro como objeto de desejo está perdendo espaço em tempos de crescente preocupação com o meio ambiente e de relações cada vez mais restritas aos smartphones. 



Dez anos atrás, o professor Fred Van Amstel, 33 anos, até tirou sua Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Mas há mais de cinco anos não dirige. Nesse período, fez uma especialização em Enschede, na Holanda, e voltou de lá decidido a abdicar do automóvel particular. “Procurei um bairro bem servido de transporte coletivo para o meu local de trabalho. Só sinto falta do carro aos fins de semana”.



Para ir do Portão ao Prado Velho, Amstel usa a linha Interbairros V ou a Fazendinha/PUC. “Os alunos estranharam no começo porque a maioria dos professores anda de carro. Mas esse tempo é ótimo porque vou exercendo o diálogo com eles”, conta. Mas o professor faz uma ponderação. “Tive a oportunidade de fazer esse planejamento. Muitas pessoas não têm. É um absurdo ver 200 pessoas amassadas dentro de um ônibus que não tem prioridade nas vias”.



Continue lendo esta notícia direto da fonte...