Busca por Ônibus em Florianópolis



 Buscar  
 Buscar

Parceiros:


  
PLAMUS

FITZZ | e-bikes

MObfloripa | Guia

MIX Rocha

Everbike


G1 | TCE determina 8 pontos de melhoria na mobilidade urbana de Florianópolis







Data:

24/05/2016

Fonte:

G1 Santa Catarina

Fonte da imagem:

Recorte digital de g1.globo.com

TAGs:

transporte público, integração, transportes, ônibus, Florianópolis, TCE

Editoria:

Mobilidade Urbana


Atualização: 24/05/2016



 

imprimir artigo



 

enviar por e-mail



Share/Bookmark

Leia também...

* Equipe do Mobfloripa no debate sobre mobilidade urbana em Florianópolis



* Mobilidade urbana na Capital - Veja como foi o Painel RBS



* Mobilidade urbana, afinal que trem é esse?



* Mobilidade ativa pode ser opção para alto número de carros circulando em Florianópolis.



* Florianópolis sediará em março o 1º Fórum das Américas sobre Mobilidade nas Cidades.





Relatório atualizado do Tribunal de Contas do Estado (TCE) sobre a mobilidade urbana de Florianópolis determinou oito pontos para melhorias em infraestrutura para o deslocamento da população, como mostrou o Jornal do Almoço.



O resultado da auditoria será publicado no Diário Oficial em 7 de junho e o município terá 30 dias para implementar as mudanças. A ideia é que as alterações sejam articuladas pela prefeitura da capital com os governos estadual e federal e também com empresas de transporte.



Os investimentos em transporte coletivo vêm sendo apontados por especialistas como uma das principais soluções para os problemas de mobilidade.



Em 2013, por exemplo, o TCE fez uma auditoria, a partir de um estudo que durou seis meses, e apontou mais de 30 pontos em que o município precisava melhorar no transporte público.



Integração da região 

Enquanto o documento tramitava, a prefeitura lançou um novo edital e, com ele, fez ajustes que minimizaram os problemas, mas, segundo os auditores, ainda são necessários outros ajustes.



Conforme o relatório atualizado, a prefeitura de Florianópolis precisa promover e apresentar um estudo para integração de diferentes tipos de transporte, para melhorar a mobilidade entre as cidades da região metropolitana.



"O nosso relatório apontou a falta de política de transporte de massa e, em especial, a falta de integração de diversos modais, como ônibus, barco, bicicletas, automóveis”, disse a diretora de controle de licitação e contratação do TCE, Flávia Fenandes Martins.



De acordo com o TCE, a capital deve exigir que a empresa que gere o sistema de descontos na compra antecipada dos créditos de passagem apresente um cronograma das obras que pretende realizar. Também é necessária a elaboração e apresentação de um cronograma de substituição dos veículos antigos pelos novos.



Tarifa para linhas longas e curtas

As outras determinações são pra que prefeitura fique atenta á fiscalização do contrato de concessão dos terminais de integração, firmado com a Cotisa. Algumas recomendações também foram feitas pelos auditores do TCE, entre elas, que a prefeitura apresente estudos sobre a possibilidade de tarifas diferenciadas entre linhas longas e curtas.



Além disso, outra orientação é para que a prefeitura apresente medidas para resolver a questão do quadro reduzido de fiscais da secretaria municipal de mobilidade urbana.



30 dias para cumprir determinações

A auditoria passou pelos conselheiros do TCE, foi aprovada por unanimidade em plenário e deve ser publicada dia 7 de junho no Diário Oficial. A partir daí, a prefeitura terá o prazo de 30 dias para cumprir as determinações.



“O descumprimento de determinações do tribunal pode levar eventualmente a penalidade e isso já está em um alerta dos itens da decisão do próprio relator”, explicou Flávia.



A prefeitura preferiu que seus representantes não dessem entrevista sobre o assunto. Em nota à RBS TV, a Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana informou que aguarda a notificação para se manifestar ao Tribunal de Contas do Estado.



Acesse essa notícia direto da fonte...