Busca por Ônibus em Florianópolis



 Buscar  
 Buscar

Parceiros:


  
PLAMUS

FITZZ | e-bikes

MIX Rocha

MObfloripa | Guia

Everbike


ND Online | Motoristas e cobradores de ônibus de Florianópolis aprovam greve a partir da semana que vem







Data:

25/05/2016

Fonte:

ND Online

Fonte da imagem:

Recorte digital de ndonline.com.br

TAGs:

transporte, ônibus, passageiros, greve, 2016, Florianópolis

Editoria:

Transporte Coletivo


Atualização: 25/05/2016



 

imprimir artigo



 

enviar por e-mail



Share/Bookmark

Leia também...

* Linhas de Canasvieiras recebem alterações em outubro



* Circulação de ônibus deve operar com frota mínima em caso de greve



* Paralisação no transporte coletivo de Florianópolis deve ser comunicada pelo menos 72 horas antes



* Nova linha executiva para o Campeche



* Projeto de Lei cria o vale-transporte social





Sindicato patronal disse que mesa de negociação ainda está montada



Motoristas e cobradores do transporte público de Florianópolis  decidiram que vão entrar em greve a patir da 0h da próxima terça-feira (31). Foi uma decisão unânime da categoria tomada nas três assembleias realizadas nesta terça (24), disse o diretor do Sintraturb (Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Urbano) Deonísio Linder. "Estamos em estado de greve", afirmou Deonísio.



A proposta patronal é de reposição da inflação (9,83%). Motoristas e cobradores pedem, além disso, 5% de aumento real. Para Linder, é descabida a alegação do sindicato patronal de que não pode haver aumento real por causa da crise.



Isso porque, segundo ele, as pessoas estão deixando carros e motos em casa para andar de ônibus. "No transporte público não deu crise. As empresas estão ganhando dinheiro na crise", disse Linder.



"É uma balela. Quem deixou o carro em casa é porque perdeu o emprego e também não anda de ônibus", rebateu o presidente do Setuf (Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros da Grande Florianópolis), Waldir Gomes da Silva. Segundo ele, o sistema de transporte está enfrentando dificuldades financeiras "homéricas".



A categoria também reinvindica aumento no ticket alimentação de R$ 500 para R$ 725 e melhores condições de trabalho. "Os trabalhadores não têm lugar para estacionar seus veículos, comer e nem um banheiro exclusivo. São reivindicações já antigas. Os patrões prometeram melhorias há um ano, mas até agora não fizeram nada", falou Linder.



Segundo Waldir Gomes, a mesa de negociação entre os sindicatos vem ocorrendo há pouco mais de um mês, sempre às segundas-feiras à tarde, e ainda está montada. O dirigente patronal disse que espera o comunicado oficial dos trabalhadores para se pronunciar oficialmente.



Acesse essa notícia direto da fonte...