Busca por Ônibus em Florianópolis



 Buscar  
 Buscar

Parceiros:


  
PLAMUS

FITZZ | e-bikes

MObfloripa | Guia

Everbike

MIX Rocha


Um terço da população brasileira se desloca diariamente a pé ou de bicicleta







Data:

11/08/2016

Fonte:

The City Fix Brasil

Fonte da imagem:

Recorte digital de thecityfixbrasil.com

TAGs:

Mobilidade Urbana, Pedestres, Ciclistas, Sustentabilidade

Editoria:

Mobilidade Urbana


Atualização: 11/08/2016



 

imprimir artigo



 

enviar por e-mail



Share/Bookmark

Leia também...

* Equipe do Mobfloripa no debate sobre mobilidade urbana em Florianópolis



* Mobilidade urbana na Capital - Veja como foi o Painel RBS



* Mobilidade urbana, afinal que trem é esse?



* Mobilidade ativa pode ser opção para alto número de carros circulando em Florianópolis.



* Florianópolis sediará em março o 1º Fórum das Américas sobre Mobilidade nas Cidades.





O deslocamento a pé ou de bicicleta, chamado de transporte ativo, no Brasil é fundamentalmente baseado na qualidade do transporte coletivo, na segregação espacial e na restrição orçamentária da população, segundo indica a pesquisa Diferenças Socioeconômicas e Regionais na Prática do Deslocamento Ativo no Brasil. Recentemente publicado na Revista de Saúde Pública, o levantamento indica que um terço da população se desloca diariamente a pé ou de bicicleta no trajeto casa-trabalho, mas a prática pouco tem a ver com decisões baseadas em possíveis benefícios para a saúde ou socioambientais.



As vantagens da caminhabilidade e do pedalar são conhecidas por todos. O gasto de energia consequente dessas atividades pode reduzir os riscos de diversas doenças cardiovasculares e muitas outras ligadas à obesidade. A Organização Mundial de Saúde (OMS) identifica a inatividade como o quarto principal fator de risco da mortalidade global. A falta de atividade no contexto urbano é relacionado ao aumento no uso de carros particulares e outros meios “passivos” de transporte. Além disso, o transporte ativo significa, atualmente, uma das principais alternativas para um futuro de menos emissões poluentes nas grandes cidades. Porém, no Brasil, grande parte dos que optam por essa prática são motivados por razões alheias a essas.



Acesse essa notícia direto da fonte...