Busca por Ônibus em Florianópolis



 Buscar  
 Buscar

Parceiros:


  
PLAMUS

MIX Rocha

Everbike

FITZZ | e-bikes

MObfloripa | Guia


The City Fix | Saúde e deslocamento: motoristas são, em média, 4kg mais pesados que ciclistas, diz estudo







Data:

08/09/2016

Fonte:

The City Fix Brasil

Fonte da imagem:

Recorte digital de thecityfixbrasil.com

TAGs:

Bicicletas, Mobilidade Urbana, Ciclistas, Saúde

Editoria:

Ciclistas


Atualização: 08/09/2016



 

imprimir artigo



 

enviar por e-mail



Share/Bookmark

Leia também...

* SC-401 em Florianópolis é a rodovia mais perigosa para ciclistas em Santa Catarina



* Bicicleta "fantasma" será instalada no local onde ciclista morreu, sexta-feira passada, em Florianópolis



* Em simulação, rodoviários assumem papel de ciclistas e dizem ser atentos



* Ciclistas: Dicas para o ciclista urbano



* O Tempo | Ciclistas se unem por temas de mobilidade nas eleições





Escolhemos as cidades para viver, mas o uso do solo nas metrópoles é resultado de décadas de planejamento voltado para o carro. O cenário, portanto, desestimula o transporte ativo e o exercício físico. A consequência disso é que 2 bilhões de pessoas estão acima do peso no mundo inteiro. O que representa enorme avanço em relação a 1980, quando o número alcançava 875 milhões. Recentemente, uma pesquisa realizada na Europa monitorou cerca de 11 mil voluntários e obteve como um dos resultados preliminares que pessoas que dirigem carros são, em geral, 4kg mais pesadas que ciclistas.



O estudo realizado em sete capitais europeias pretende analisar os hábitos de transporte e relacionar aos hábitos de saúde das pessoas. Como as pessoas se movem na cidade, quais meios de transporte utilizam e quanto tempo gastam em seus deslocamentos diários. Essas são algumas das perguntas sobre mobilidade. Aliado a isso, os pesquisadores querem saber o peso, altura, acidentes recentes e se a pessoa caminha ou pedala.



Por mais que a premissa de urbanismo e saúde pública e as vantagens do transporte ativo sejam conhecidas há algum tempo, essa é a primeira pesquisa que relaciona o índice de massa corporal com o meio de transporte escolhido pela pessoa. A importância de um estudo como esse encontra amparo nas 5,3 milhões de mortes por ano, no mundo, consequentes do sedentarismo.



Clique aqui para saber mais