Busca por Ônibus em Florianópolis



 Buscar  
 Buscar

Parceiros:


  
FITZZ | e-bikes

Everbike

PLAMUS

MIX Rocha

MObfloripa | Guia


The City Fix Brasil | A relação entre a felicidade e a velocidade nas cidades







Data:

20/10/2016

Fonte:

The City Fix Brasil

Fonte da imagem:

Recorte digital de thecityfixbrasil.com

TAGs:

velocidade, pesquisa, cidade, ruas, pedestres

Editoria:

Trânsito


Atualização: 20/10/2016



 

imprimir artigo



 

enviar por e-mail



Share/Bookmark

Leia também...

* Trânsito do Centro da Capital sofre alterações nesta segunda quinzena de outubro.



* Código de trânsito pode ficar mais severo



* Experimente fazer o teste de mitos do trânsito proposto pelo G1



* TRÂNSITO: Novembro tem curso do DENATRAN em São José



* TRÂNSITO: Prefeitura discute com entidades a revitalização da Edu Vieira





A crença de que o mundo está se tornando um lugar cada vez melhor é consequência dos constantes avanços tecnológicos e científicos que o homem está alcançando. No entanto, ao analisarmos o contexto por uma ótica em que se percebe um cenário de mudanças climáticas, instabilidade econômica e iniquidade social, essa ideia pode variar radicalmente. Entre tantas crises que precisam ser administradas pelas cidades, elas podem estar esquecendo um fator fundamental para o crescimento de pessoas e comunidades: a felicidade.



Pesquisas já constataram a influência das áreas verdes na sensação de felicidade da população. Porém, os urbanistas Charles Montgomery e Omar Dominguez sugerem ainda que a “velocidade na cidade” é um fator importante e que a felicidade é algo que se deve trabalhar desde o desenho urbano. “Em uma era em que pessoas investem tanto tempo e dinheiro em auto-ajuda, o que realmente precisamos é de ajuda para as cidades: programas que promovam saúde e bem-estar ao compreender a relação entre nossas mentes, nossos corpos e os lugares que habitamos”, afirma Montgomery.



O canadense lançou, em 2013, o livro “Happy City – Transforming Our Lives Through Design”, onde ele relata seus estudos e experiências em que tenta provar que as cidades – ruas, parques, shoppings, casas, toda a infraestrutura – deveriam ser redesenhadas para a felicidade.



Algumas das evidências coletadas pelo urbanista vêm da psicologia, da neurociência, da saúde pública e da economia comportamental. Um experimento desenvolvido pela organização Happy City, criada por ele, descobriu que pedestres são quatro vezes mais propensos a ajudar turistas em ruas “vivas”, locais com comércio ou restaurantes, do que em ruas vazias, onde as pessoas tendem a caminhar mais rapidamente.



Continue lendo esta notícia direto da fonte...