Busca por Ônibus em Florianópolis



 Buscar  
 Buscar

Parceiros:


  
PLAMUS

MIX Rocha

Everbike

FITZZ | e-bikes

MObfloripa | Guia


Implantação de faixas exclusivas de ônibus é a primeira ação prevista para melhorar a mobilidade na região metropolitana da Grande Florianópolis







Data:

27/10/2016

Fonte:

Secretaria de Estado de Comunicação - Secom

Fonte da imagem:

Divulgação | Julio Cavalheiro | Secom

TAGs:

BRT, Grande Florianópolis, trânsito, Suderf, infraestrutura, ônibus

Editoria:

Transportes


Atualização: 27/10/2016



 

imprimir artigo



 

enviar por e-mail



Share/Bookmark

Leia também...

* Maciço do Morro da Cruz poderá receber Transporte Funicular



* Estudante da UFRGS cria site com rotas de ônibus de Porto Alegre



* Ministério dos Transportes e DNIT preparados para emergências no período das chuvas



* Florianópolis deve facilitar o acesso às informações sobre o transporte público



* Futuro da mobilidade paulista passa por trilhos





O projeto de infraestrutura do BRT (Bus Rapid Transit) na região metropolitana da Grande Florianópolis foi apresentado nesta quarta-feira, 26, na Secretaria de Estado do Planejamento, pelo superintendente de Desenvolvimento da Região Metropolitana da Grande Florianópolis, Cassio Taniguchi. A partir de quinta-feira, 27, ele estará disponível ao público no site da secretaria de Estado do Planejamento no período de 30 dias.



“O objetivo de divulgar a proposta da infraestrutura do sistema BRT é dar o máximo de transparência ao processo, dirimir dúvidas e receber sugestões”, afirmou Taniguchi.



A modelagem da infraestrutura do sistema de transporte público da região metropolitana é resultado de estudos da empresa TPI por meio de procedimento de manifestação de interesse (PMI) lançado pelo Governo do Estado em outubro de 2015. A intenção do Executivo é lançar edital para a licitação da implantação, operação, conservação e manutenção da infraestrutura do sistema BRT por meio de parceria público-privada na modalidade concessão administrativa.



Está prevista a implantação de 57 quilômetros de vias e de faixas exclusivas para o BRT, 36 estações e quatro terminais de integração, além do sistema de controle operacional (ITS - Intelligent Transport System) que irá supervisionar toda a operação do BRT, através de um CCO (Centro de Controle Operacional). Os investimentos em infraestrutura estão orçados em R$ 1,1 bilhão.



O BRT de 1º nível, ou seja, corredores de ônibus com operação em vias segregadas, estações de embarque e desembarque e sistema de bilhetagem pré-embarcado, terá extensão de 35,5km. Já o BRT de 2º nível, que opera em faixas exclusivas à direita, conta com paradas de embarque e desembarque e sistema de bilhetagem embarcado, terá 22km. O objetivo é priorizar o conforto do passageiro, maior frequência de ônibus e ganho de tempo nos percursos.



“O projeto prevê primeiro a implantação de faixas exclusivas, é diferente de pistas exclusivas, ao longo das vias existentes que saem de São José, passam pelo Bairro Estreito e vão até o Centro de Florianópolis utilizando preferencialmente a Ponte Hercílio Luz. De toda maneira, é uma obra mais simples e mais barata também. A seguir começa a obra da Via Expressa, que é outro ponto de estrangulamento de todo sistema de transporte da região metropolitana e sucessivamente até chegarmos ao anel do Morro da Cruz, com a parceria da prefeitura da Capital”, explicou Taniguchi.



Os primeiros trechos do BRT interligando São José via Estreito até o Ticen devem entrar em operação até o final de 2017. As demais etapas de implantação serão sucessivas, até 2021.



Acesse essa notícia direto da fonte...