Busca por Ônibus em Florianópolis



 Buscar  
 Buscar

Parceiros:


  
FITZZ | e-bikes

Everbike

PLAMUS

MObfloripa | Guia

MIX Rocha


Uol | Híbrido é opção realista ao futuro 100% elétrico discutido na Europa







Data:

28/10/2016

Fonte:

Carros | Uol

Fonte da imagem:

Recorte digital de carros.uol.com.br

TAGs:

carros elétricos, poluição, transportes

Editoria:

Sustentabilidade


Atualização: 28/10/2016



 

imprimir artigo



 

enviar por e-mail



Share/Bookmark

Leia também...

* COP 15 - Copenhagen vai disponibilizar bicicletas gratuitas para as delegações.



* SUSTENTABILIDADE: Impulse, o avião a energia solar, cruza a Suíça



* Sustentabilidade: Uma bicicleta que filtra água!



* Internacional: Oito lições estrangeiras para amadurecer o uso de veículos verdes



* Faltam 2 meses para a Hora do Planeta 2011





Que o futuro dos automóveis deve ser elétrico, poucos duvidam. O problema é saber quando e como isso deve acontecer. Há dois meses, um dos países mais engajados nos incentivos para a substituição dos motores a combustão, a Noruega, desmentiu haver algum prazo ou obrigatoriedade. No país nórdico, carros elétricos são isentos de impostos de compra, restrições de circulação e pedágio urbano, podem transitar em corredor de ônibus e têm recarga e estacionamento gratuitos.



Semana passada uma proposta no parlamento alemão, de impedir a venda de automóveis a gasolina ou diesel no país a partir de 2030, foi interpretada por aqui como favas contadas. Não é bem assim: a aprovação depende ainda de muitos fatores, inclusive de um acordo geral com a União Europeia. Afinal, o mercado automobilístico alemão responde por um quarto de todo o continente, ao contrário do norueguês, que mal passa de umas gotas em um copo.



O avanço da tração elétrica tem mais impedimentos do que simplesmente baixa autonomia, tempo de recarga ou de como se obtém a essa energia, entre outros. Apenas um dos fatores limitantes, o custo da bateria, parece caminhar melhor. Segundo a consultoria Bloomberg, seu preço em US$/kWh caiu 65% entre 2010 e 2015, devendo ir bem abaixo disso na próxima década. A reciclagem em massa das baterias, porém, não apresenta ainda uma equação financeira plausível.



Até mesmo o modelo de negócio do carro elétrico carece de contabilidade precisa. A Faraday, que apresentou seus planos no começo do ano e conseguiu incentivos do estado americano de Nevada, está com obras e contas atrasadas. A Tesla, do bilionário e visionário Elon Musk, acumula prejuízo há 18 trimestres consecutivos. Mas isso não impedirá que seu Model S esteja no Salão do Automóvel de São Paulo, entre 10 e 20 de novembro próximo, e possa até ser testado na pista fechada do SP Expo.



Continue lendo esta notícia direto da fonte...