Busca por Ônibus em Florianópolis



 Buscar  
 Buscar

Parceiros:


  
MIX Rocha

Everbike

MObfloripa | Guia

PLAMUS

FITZZ | e-bikes


Arch Daily Brasil | Reduzir a velocidade para preservar vidas







Data:

24/11/2016

Fonte:

Arch Daily Brasil

Fonte da imagem:

Recorte digital de archdaily.com.br

TAGs:

velocidade, segurança viária, motoristas, ciclistas, pedestres

Editoria:

Trânsito


Atualização: 24/11/2016



 

imprimir artigo



 

enviar por e-mail



Share/Bookmark

Leia também...

* Trânsito do Centro da Capital sofre alterações nesta segunda quinzena de outubro.



* Código de trânsito pode ficar mais severo



* Experimente fazer o teste de mitos do trânsito proposto pelo G1



* TRÂNSITO: Novembro tem curso do DENATRAN em São José



* TRÂNSITO: Prefeitura discute com entidades a revitalização da Edu Vieira





Uma das medidas adotadas para reduzir o número de mortes no trânsito é a redução dos limites de velocidade. Ao redor do mundo, mais de uma centena de países já estabeleceram o limite de 50 km/h recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para vias urbanas. Em áreas com grande circulação de pedestres e ciclistas, praticam-se velocidades ainda menores, como 30 km/h ou menos.



Reduzir os limites de velocidade é uma tendência contemporânea em cidades que priorizam o direito à vida. Todos o dias as ocorrências de trânsito, como colisões e atropelamentos, fazem novas vítimas e essa questão deve ser tratada com urgência e prioridade. O trânsito mata 1,3 milhão de pessoas por ano no mundo, o equivalente à queda, sem sobreviventes, de 2,6 mil aviões Boeing. No Brasil, é mais provável morrer em um acidente de trânsito do que em decorrência de um câncer ou mesmo por homicídio.



Nesse contexto, está o projeto de requalificação urbana e segurança viária de São Miguel Paulista, iniciativa em desenvolvimento desde janeiro de 2015 como resultado da parceria entre a Prefeitura de São Paulo, a Iniciativa para a Segurança Viária Global da Bloomberg Philanthropies, o WRI Brasil Cidades Sustentáveis, Nacto, Citi Foundation e o ITDP Brasil. O projeto visa aumentar a segurança dos pedestres em uma das áreas com maior número de vítimas de atropelamentos em São Paulo, a Av. Marechal Tito, que registrou em 2014 o maior número de mortes de pedestres na capital, segundo dados da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET-SP).



 



Continue lendo esta notícia direto da fonte...