Busca por Ônibus em Florianópolis



 Buscar  
 Buscar

Parceiros:


  
PLAMUS

FITZZ | e-bikes

MObfloripa | Guia

MIX Rocha

Everbike


The City Fix Brasil | 'Bicicletas são um caminho sem volta': entrevista com José Carlos Aziz Ary







Data:

21/12/2016

Fonte:

The City Fix Brasil

Fonte da imagem:

Recorte digital de thecityfixbrasil.com

TAGs:

ciclistas, trânsito, bicicleta

Editoria:

Mobilidade Urbana


Atualização: 21/12/2016



 

imprimir artigo



 

enviar por e-mail



Share/Bookmark

Leia também...

* Equipe do Mobfloripa no debate sobre mobilidade urbana em Florianópolis



* Mobilidade urbana na Capital - Veja como foi o Painel RBS



* Mobilidade urbana, afinal que trem é esse?



* Mobilidade ativa pode ser opção para alto número de carros circulando em Florianópolis.



* Florianópolis sediará em março o 1º Fórum das Américas sobre Mobilidade nas Cidades.







José Carlos Aziz Ary é um dos precursores do incentivo ao uso da bicicleta no Brasil. Engenheiro formado pela Universidade Federal do Ceará, começou uma especialização na Bélgica e descobriu uma população que optava mais pela bicicleta para os deslocamentos. De volta ao Brasil, ao lado de Antônio Carlos Matos Miranda, integrou o Grupo Executivo de Integração da Política de Transportes (GEIPOT). Em 1976, após pesquisas e baseado na sua experiência pessoal na Bélgica e nas experiências de países como França e Holanda com o uso de bicicletas, eles concluíram o Planejamento Cicloviário: Uma Política Nacional para o Uso da Bicicleta, adotado como primeiro documento oficial para o uso das bicicletas no Brasil.



Nos anos 2000, foi convidado novamente para colaborar com a elaboração de uma nova versão, chamada Manual de Bicicletas, que considera um documento muito mais elaborado e estruturado.  Em participação no workshop “Estratégias de Incentivo ao Ciclismo Urbano em Fortaleza”, realizado em Fortaleza pelo WRI Brasil Cidades Sustentáveis, com o apoio da Iniciativa Global em Segurança Viária da Bloomberg Philanthropies, Ary comentou sobre as diferenças entre o comportamento no Brasil e na Europa: “Antes, a bicicleta no Brasil era uma intrusa, transparente. Víamos pessoas de baixa renda utilizando, mas ninguém percebia. Na Bélgica, por exemplo, não havia uma política para bicicletas, mas as pessoas eram ciclistas por natureza, mesmo que tivessem carro. A escolha do modal se dava em função dos tipos de viagem que eram feitas”.



Com uma camiseta com a frase “O veículo do futuro foi inventado há muito tempo”, Ary compartilhou conosco sua visão sobre o cenário da bicicleta no Brasil



Continue lendo esta notícia direto da fonte...